A cooperativa Minasul e a corretora Stonoex festejam o lançamento do Coffee Coin, primeiro token lastreado em café verde do Brasil

(Imagem: YouTube/Minasul Cooperativa)

A Minasul — uma das maiores cooperativas do mundo em produção de café — vem processando, há cerca de dois anos, um projeto “barter” digital, informado inicialmente no Fórum Mundial dos Produtores de Cafés em 2019.

Na quinta-feira (1º), Coffee Coin passa a ser comercializada, como uma criptomoeda de valor estável — na Stonoex, a primeira corretora especializada em tokenização do Brasil.

Sob o símbolo “COFBR”, o token será o primeiro do mundo a ser indexado diretamente ao valor do quilo de café verde (padrão commoditizado) da Bolsa de Nova York (NYSE).

Coffee Coin é a primeira cripto do setor

Desenvolvido no “blockchain” da Ethereum (com o padrão ERC-20, que permite sua livre negociação), o token chega ao Brasil como um ativo digital com garantia real em café.

No site da corretora, os investidores interessados podem criar sua própria carteira digital e negociar o token COFBR, nos pares, real (BRL) e bitcoin (BTC).

Segundo Ricardo Azevedo, CEO da Stonoex, o lançamento está alinhado com a estratégia da empresa em explorar os tokens como alternativa de negócios para ativos do mercado.

“Investimos muito tempo na modelagem para garantir que nossa plataforma de ‘corporate blockchain’ tenha robustez e um adequado gerenciamento de riscos”

Declara Azevedo

De acordo com Luis Henrique Albinati, diretor de novos negócios da Minasul:
O primeiro criptoativo lastreado em café nasce como uma das stablecoins de maior garantia e credibilidade do mercado brasileiro.

Por estar amparado em uma instituição com mais de 60 anos de experiência no mercado Agro Café, traz segurança nos trâmites da operação, usando a tecnologia blockchain e assim, atendendo aos padrões e regulamentos de conformidade internacional.

Se uma pessoa quer transformar Coffee Coin em reais, vende na carteira digital e fica com o dinheiro. Quem adquiriu Coffee Coin pode trocar este criptoativo por café físico ‘in natura’.

Fonte: MoneyTimes

Segundo estudo, cafeína equivalente a uma xícara diária de café pode alterar o volume da massa cinzenta no cérebro

Um novo estudo publicado na revista Cerebral Cortex, conduzido por cientistas da Universidade de Basileia, na Suíça, traz conclusões surpreendentes sobre o consumo diário de café.

Os pesquisadores afirmam que beber o equivalente a uma xícara de café por dia pode alterar o volume da massa cinzenta no cérebro de uma pessoa por algum tempo.

Por outro lado, também sugerem que o consumo da mesma quantidade da bebida não parece ter efeito na qualidade do sono, contradizendo uma crença popular.

Café pode alterar o volume da massa cinzenta no cérebro

Foto de Engin Akyurt no Pexels

Para conduzir o experimento, os pesquisadores recrutaram 20 voluntários saudáveis, todos habituados a beber café diariamente.

Por dez dias, eles foram instruídos a tomar três cápsulas de cafeína de 150 miligramas por dia, enquanto se abstinham de todas as outras fontes de cafeína.

Pesquisa e resultado com café

O protocolo, depois, foi repetido por mais dez dias, nos quais os participantes receberam comprimidos de placebo.

Ao final de cada período de dez dias, os autores do estudo escanearam os cérebros dos participantes usando imagens de ressonância magnética funcional (fMRI), enquanto mediam sua atividade cerebral enquanto dormiam.

Os resultados indicaram que os volumes de massa cinzenta diminuíram após o uso regular de cafeína, mas aumentaram após dez dias de abstinência.

“Nossos resultados não significam necessariamente que o consumo de cafeína tenha um impacto negativo no cérebro”.

Diz um dos autores do estudo, a Dra. Carolin Reichert, do Centro de Cronologia de Basileia, em comunicado.

“Mas o consumo diário de cafeína evidentemente afeta nosso ‘hardware’ cognitivo, o que por si só deveria dar origem a mais estudos”, acrescentou Reichert.

Ela lembra que, no passado, os efeitos da cafeína na saúde foram investigados principalmente em pacientes com algum problema de saúde, mas também há a necessidade de pesquisas do tipo em indivíduos saudáveis.

A cafeína não está presente apenas no café, mas também em refrigerantes à base de cola e bebidas energéticas – condição que a torna a substância psicoativa mais consumida no mundo.

Massa cinzenta

A massa cinzenta se refere às partes do sistema nervoso central compostas principalmente pelos corpos celulares das células nervosas, enquanto a substância branca compreende principalmente as vias neurais, as longas extensões das células nervosas.

O estudo constatou alterações da massa cinzenta durante o período de consumo de cafeína.

Após 10 dias de placebo – ou seja, “abstinência de cafeína” – o volume da substância cinzenta foi maior que após o mesmo período com cápsulas do estimulante.

Os pesquisadores, porém, também concluíram que essas mudanças parecem ser temporárias e que apenas dez dias de abstinência da substância estimulante são suficientes para reverter o efeito.

Depois desse período, o volume da massa cinzenta se regenerou significativamente entre os participantes.

“As mudanças na morfologia do cérebro parecem temporárias, mas até agora faltaram comparações sistemáticas entre os que bebem café e aqueles que geralmente consomem pouca ou nenhuma cafeína.”

– Observa Reichert.

As mudanças na massa cinzenta foram particularmente perceptíveis no lobo temporal medial direito, que contém estruturas-chave, como o hipocampo, para-hipocampo e giro fusiforme, e está associado à função de memória.

Para analisar o impacto dessas mudanças, os pesquisadores pediram aos participantes que completassem uma série de tarefas de memória e descobriram que eles geralmente se saíam melhor após se abster de cafeína por dez dias do que após consumir o estimulante.

Café pode alterar o volume da massa cinzenta no cérebro

Foto de Uriel Mont no Pexels

Sono não foi afetado no estudo

Se por um lado as alterações na massa cinzenta ficaram nítidas no estudo, por outro a comparação de dados revelou que a profundidade do sono dos participantes foi igual, independentemente de terem tomado a cafeína ou as cápsulas de placebo.

Segundo os autores, a atividade de ondas lentas (SWA, sigla de slow wave activity) durante o sono não foi completamente afetada pelo consumo de cafeína ou pelas mudanças no volume da massa cinzenta.

Isso foi considerado uma surpresa, já que muitas pessoas relatam sono interrompido após a ingestão de cafeína.

Embora o café seja comumente utilizado para se permanecer acordado, os dados não sugerem uma ligação entre a profundidade do sono durante a ingestão diária de cafeína e as mudanças na morfologia cerebral.

O bolinho Brownie é uma sobremesa de chocolate típica da culinária dos Estados Unidos e pode ser definida simplesmente como um bolo úmido feito em um tabuleiro para bolos e partido em pequenos quadrados.

Esse bolo é geralmente acompanhado por sorvete, mas pode ter uma cobertura de geleia de Damasco e pedaços de nozes na massa.

A história do Brownie

Segundo o que contam por aí, na “Larousse Gastronomique”, a primeira receita escrita de brownies apareceu no “The Boston Cooking-School Cook Book”, em 1896, e eram biscoitos feitos com melaço. Os brownies como os conhecemos hoje só apareceram na edição de 1906 desse aclamado livro.

O nome refere-se aos brownies, um tipo de duende do folclore anglo-saxão, e teria ficado famoso depois da edição de “The Brownies, Their Book” por Palmer Cox, em 1887.

Receita saborosa de brownie

Foi só em 1907 que apareceu outra receita no “Lowney’s Cook Book Illustrated”, em que a Sra. Howard adicionou um ovo e uma tablete de chocolate, para fazer um brownie mais saboroso, e chamou essa mudança de “brownies Bangor”.

Aparentemente, esta receita atraiu uma teoria que, possívelmente, uma mulher de Bangor teria sido a inventora do brownie, e pode ser encontrada na “The Oxford Encyclopedia of Food and Drink in America”.

Aqui vamos unir nosso amado café ao bolo americano (ou Bongonensse) que tanto nos agrada. Então vamos lá para a receita de brownie de café cremoso.

Brownie de Café para fazer em casa

Ingredientes

[the_ad id=”3946″]

Modo de Preparo

Em uma panela, derreta a manteiga em fogo baixo.
Quando a manteiga estiver totalmente derretida, retire do fogo e adicione o chocolate meio amargo, e mexa até que o chocolate esteja totalmente derretido (se precisar, volte para o fogo baixo e mexa mais, não deixe ferver).

Em uma vasilha grande, misture os ovos, o café solúvel, sal, baunilha e mexa bem até desmanchar o granulado do café. Na sequência, adicione o açúcar e mexa novamente.

Quando a massa estiver homogênea adicione o chocolate e manteiga derretidos. Mexa bastante e vá adicionando aos poucos a farinha até a massa ficar uniforme. Despeje a massa em uma forma untada com manteiga e polvilhada com farinha. Preaqueça o forno por cinco minutos em temperatura média (180ºC) e asse por 30 a 35 minutos.

Deixe esfriar, cubra a forma com um pano de prato e leve à geladeira por 20 minutos até que o brownie endureça para ser cortado.

Desenforme o brownie sobre uma superfície onde possa cortá-los, corte-os em quadradinhos, polvilhe com açúcar e se quiser enfeite com alguns granulados de café.

Brownie de Café para fazer em casa
Brownie de Café para fazer em casa | Café com Bytes

O barman do restaurante misturou cachaça e café e criou um drink com um sabor bem diferente. A Caipirinha de Café!

 
Que a famosa cachaça e o tradicional café são símbolos nacionais, ninguém tem dúvidas. Daí alguém pensou: E se juntarmos os dois e incluirmos limão, gelo e açúcar, será que dá certo?
 

Surgiu a Caipirinha de Café!

 
Quem fez essa mistura foi Marcos Melo Júnior, filho do dono do Bar do Melo que é um restaurante especializado em comida nordestina e fica no bairro da Moóca em São Paulo.
 
O restaurante tem uma carta de bebidas chamada, Clube da Cachaça, então Marcos resolveu investir na mistura exótica que, segundo o restaurante, os clientes aprovaram.
 
Ficou curioso para conhecer o sabor da mistura?
 

Então teste a receita em casa!

 
Caipirinha de Café
Rendimento: 1 drink
Tempo de preparo: 5 minutos.

 


Ingredientes:

Modo de preparo:

Macere o limão com açúcar. Acrescente uma dose de cachaça. Coloque o gelo e finalize com a dose de café. Se quiser dar uma incrementada no visual da caipirinha, enfeite a bebida com grãos de café por cima e aproveite!

Salut!🍹

Caipirinha de Café
Este blog utiliza cookies para garantir uma melhor experiência. Se você continuar assumiremos que você está satisfeito com ele.